15.8.12

Abertura da nova temporada de "Malhação"

A nova "Malhação" começou. Na última segunda-feira (13), com ampla divulgação da Globo, a novelinha teen estreou a sua vigésima temporada, após boatos de que seria extinta na décima nona. Ao que parece, a emissora pretende dar apenas mais essa chance ao programa, que está no ar desde 1995 e já contabiliza mais de 4.300 episódios.

No sentido de atenuar o desgaste natural visto de temporada em temporada, "Malhação" ganha agora uma injeção de ânimo, repensando sua proposta e renovando sua estética - cenografia, fotografia, toda a identidade visual foi substituída. Essa remodelagem alcança também o elenco principal, que dá uma necessária rejuvenescida, o que denota a intenção de atingir um público específico, ao invés de ampliar o foco como antes. Temas como amizade, amor, sexualidade, ética, limites e família voltam a ganhar atenção. Tudo escrito por uma dupla que entende bem o universo adolescente: Glória Barreto, uma das criadoras do programa, e Rosane Svartman, diretora do filme "Desenrola" (2011), que aborda as tensões da "primeira vez", e roteirista do clássico “Confissões de Adolescente” (1994).

Apesar das novidades preparadas para esta nova leva de episódios, a novela não nega um flerte e tanto com suas origens. Um apelo prescindível e ao mesmo tempo curioso. Logo na primeira cena, o emblemático personagem Mocotó (André Marques) reapareceu, muitos quilos mais gordo, ao som de "Assim Caminha a Humanidade", música que embalava a vinheta de abertura da novela em sua primeira fase. Aliás, essa vigésima temporada não seria o início da terceira fase de "Malhação"?

Por sua vez, a abertura não lembra em nada as criações anteriores. Uma ideia superinteressante, bem descolada, que agrada pela simplicidade. Gravada em Santa Teresa, centro do Rio de Janeiro, e em uma antiga fábrica de chocolate, a vinheta mostra nada mais nada menos do que o elenco jovem da trama em momentos de pura descontração. Sem recorrer a quase nenhum efeito de softwares gráficos. Os videografistas Alexandre Pit e Alexandre Romano se inspiraram nos clipes de bandas alternativas, mas há quem diga que todo o trabalho é muito parecido com as aberturas da série inglesa "Skins". Sinceramente, se é para buscar uma comparação, vejo mais semelhanças com as vinhetas do extinto seriado "Sandy & Junior" (1999-2002).

A música "Tempos Modernos", sucesso de Lulu Santos no início dos anos 1980, foi regravada pela banda Jota Quest especialmente para animar essa nova abertura de "Malhação". Uma escolha, diga-se, bastante feliz. O logotipo, com traços coloridos que remetem a uma tipografia manuscrita, é outro ponto positivo. Desde 2006, a marca não sofria uma repaginada total.


Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário